20 de jul de 2009

Nostalgia

Os dias passam, as historias mudam, os conceitos são renovados, o mundo gira e gira...
Como o tempo passa apressado, pressionando nossas vidas!
Tantas maravilhas, tantas memórias que não vou esquecer tantos momentos que não quero deixar de viver, tanta liberdade que me envolve em cada instante, somente saudades...
Como é que uma música pode soar como nostalgia sem eu nunca a ter ouvido antes?
Às vezes e como se eu tivesse voltado alguns anos no passado, agora a mesma menina cheia de sonhos com uma fé inabalável, com as melhores amigas, com todas as juras de amor, todos os presentes guardados em uma gaveta apenas esperando o momento certo de serem desvendados. Como explicar esse sentimento que me invade sem ter por que, sem aviso prévio...
E amanhã... Agitação durante o dia. Solidão à noite. E vai ser sempre assim. Até o fim do ano, até o fim da faculdade, até o fim... Até a velhice chegar e a aposentadoria me sustentar até o fim. Até o dia que todos estivermos cansados demais para acordar e levar ouro dia adiante. Até... Fim.
Ah! Como eu queria ao menos uma vez reviver tudo que já se foi, poder sentir aquele carinho recíproco novamente, poder dizer EU SOU IMENSAMENTE FELIZ, poder pular, gritar, sorrir ser criança novamente, sem cobranças, sem medo, sem culpa, somente reviver.
Dizem que só sente saudade que viveu intensamente todos os momentos, então posso me considerar uma pessoa de sorte, pois sinto tantas saudades, saudades sem fim, saudade que inunda a alma, saudade...
O tempo. Ele é o responsável. Ele nos guia. O mestre mor. Ele não gosta da gente. Ele judia da gente. A cada dia. Todo dia. Cada ruga. Cada fio prata que nos aflora à testa. Cada doença. Ele nos aplica tudo, nos impede de fluir. E nos direciona ao mesmo lugar.
Só queria que essa dor passasse, só queria ter certeza que nada foi em vão, pois se em algum momento isso tudo não fizer mais sentindo não terei mais essa saudades, essa dor ira cessar, mais eu quero sentir isso, quero poder me alegrar e me entristece, pois só assim poderei acreditar, acreditar em uma vida, em uma historia, em um momento, somente acreditar que nada foi em vão, tudo isso não pode ter sido em vão...
Onde estávamos? O que queríamos? Por que lutamos? Pelo que?
E hoje como é? O que temos? O que somos? Alegres? Ou são lembranças?
Que não aconteceram que amorteceram que morreram num tempo longínquo?


O fim. O começo vem depois. Sempre.



Aline Lopes

7 Pensamentos que são seus:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Aline,

O tempo nos diz tanta coisa, nos tira outras também. O tempo faz o que quer com a nossa vida... inclusive, ser feliz com os momentos que nos restam.

Espero não perder contato, viu?

=]

Feliz dia do amigo, menina linda.

Rebeca

-

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Esse texto foi tão intenso quanto o conjunto de todas as palavras do seu blog. O tempo? Ele é assim mesmo... tudo o que acontece tem seu propósito!

"Queria apenas reviver aquele momento de novo..." (Aline Lopez)
Um feliz dia do Amigo pra nós!

;*

Nathália :) disse...

Você descreveu muito bem a nostalgia... e é exatamente oq eu sinto na maior parte do tempo. :/ O tempo não tem piedade da gente, e nem para para descansar. Ele continua, e temos sempre que aceitar isso :(

Poliana Lima disse...

eu li seu texto e desabei em lagrimas .. me fez lembrar de tanta coisa do passado que com o tempo fui esquecendo ... Que bom seria se podessemos voltar no tempo ... AMEI seu texto, seu blog, suas palavras e a Música ♥

Gostei mesmo de tudo aqui!
BeijãoO

Lucí disse...

"Acredito que o segredo está em sentir saudades do que foi bom, por que ninguém sente falta do que foi ruim, ai deixa de ser saudades para ser martirio".

Bjo. (te encontrei no blog da dorinha cheirosinha).

Lorena Granja disse...

Ah, o tempo, o tempo é bastante subjetivo para ser entendido.
E nostaliga tem sido meu modo de viver nesses últimos dias.


Beijos

Dora disse...

Aline, desculpa em demorar a aparecer, tá?
Nostalgias sempre me acompanham, e como!
O tempo segue independente de nós. Isso é uma benção às vezes e uma maldição em outras ocasiões. Talvez seja uma sabedoria da vida. Penso que se não fosse assim, as nossa tragédias pessoais seriam bem mais enfáticas... sei lá.
Mas vamos em frente.
Boa noite, tá?
Um cheiro grande.