22 de jun de 2009

Viver e não ter a vergonha de ser FELIZ

"Viver e não tenha a vergonha de ser feliz Cantar (e cantar e cantar) a beleza de ser um eterno aprendiz Ah meu Deus! Eu sei, eu sei que a vida devia ser bem melhor e será mas isso não impede que eu repita é bonita, é bonita e é bonita”. (Gonzaguinha).



É engraçado como sabemos e concordamos com tudo que está escrito acima, mas é incrível como temos dificuldade de “viver e não ter a vergonha de ser feliz”.
Você consegue ser feliz sem dar ouvidos ao que os outros possam pensar ou dizer sobre você, se isso e certo ou errado para os outros?
Já reparou como, às vezes, damos poder ao outro?
Poder de nos machucar, de nos maltratar, de nos colocar para baixo, de dizer o que não merecemos ouvir, de definir o que não somos...
Por mais que saibamos que não devemos deixar esse tipo de coisa e de pessoa nos atingir, sempre escorregamos e caímos nessas armadilhas.
Por que somos tão vulneráveis?
Por que a opinião alheia nos afeta mesmo quando temos certeza que não somos o que dizem?

“Se alguém chega até você com um presente e você não aceita,
a quem pertence o presente? - perguntou o Samurai. A quem tentou entregá-lo. - respondeu um dos discípulos. O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos - disse o mestre. Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo. A sua paz interior depende, exclusivamente, de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir.”

Agora o outro lado da moeda! Por que temos dificuldade de acreditar nos elogios? Por que temos medo de acreditar nas coisas boas que ouvimos sobre nós mesmos? Por que ficamos desconfiados? Será que é vocação para sofrer, para ser vítima, para ser o coitadinho incompreendido ou é só loucura? Nós somos difíceis, hein? Se nos detonam, reclamamos, choramos, sofremos, já que quando nos elogiam não acredita confuso não? Que baixa estima é essa? Apesar dos defeitos, temos muitas coisas boas, sim! Temos muitas qualidades, sim! Temos de ser felizes, sim! E não podemos ter vergonha disso, não! A vida é linda e deve ser vivida plenamente!




• Copyright © 2009 – Todos os direitos reservados

Aline Lopes

10 de jun de 2009

Eu odeio o dia dos Namorados


Antes que comecem a me chamar de mal amada, encalhada ou algo do gênero vou tentar explicar por que não gosto dessa data...
A rigor não tenho nada contra a data. Pra mim e apenas mais uma forma de se ganhar dinheiro, puro markentig.
Eu já não ligo quase nada para aniversários, natal, essas coisas, e dia dos namorados é só mais um que vem todo ano me assombrar. Todas essas datas de alguma forma me lembram coisas tristes, então prefiro excluir elas do meu calendário, e vamos ser sinceras o dia dos namorados só tem graça pra quem tem com quem comemorar se não perde totalmente a essência da coisa.
E por mais que eu lute e lute pra sumir do planeta em todas essas datas festivas, não consigo as pessoas sempre me encontram e me fazem lembrar do que estou me escondendo. Tem coisa mais triste do que andar na rua e ver aqueles casais fingindo ser perfeitos e comemorando uma data que há muito tempo perdeu o sentindo (não generalizando e claro, alguns casais se amam de verdade =D).
É difícil fugir de uma data onipresente.
Correr para as montanhas? Mau negócio. Nada mais romântico do que um chalezinho no alto da serra, aquele friozinho, lareira, fondue... Esqueça. Nada de montanha. E nem pensar em praia, ou qualquer tipo de viagem, pois sempre dá errado, e aquela idéia de "só ir solteiros", esqueça isso definitivamente não e a melhor escolha, no geral sempre vão vários casaizinhos da turma.
Se tem coisa que me deixa mais furiosa e quando você convida a galera planeja um fim de semana pra relembrar os bons tempos e todo mundo resolve aparecer com um(a) acompanhante, o que sempre da brigas, ciúmes disso, ciúmes daquilo, e pronto o final de semana feliz acabou... E acredito se seus amigos tiverem que escolher entre o suposto amor de sua vida e você não restara duvidas você ficara em segundo, terceiro plano, triste não?
Portanto, posso me sentir livre para odiar o dia dos namorados sem maiores complexos, afinal, como eu poderia gostar de um dia inteiro dedicado a tudo que não gosto ou não tenho?
Posso dizer que e apenas mais um clássico que se repetem todos os anos...
Então o que posso fazer e apenas esquecer definitivamente esse dia, e outra coisa quem foi que teve a idéia de transformar esse dia em “feriado”, e as responsabilidades onde ficam? (por favor, estou apenas brincando não briguem comigo).
Vamos então as dicas para fugir desse dia:
1. ficar em casa.
Essa talvez seja o melhor a ser feito diante dessa situação. Mas é altamente contra-indicado para os casos de predisposição a estados depressivos. E não adianta comer trocentos potes de sorvete, devorar panelas inteiras de brigadeiro de colher ou quitutes correlatos. Quando bate a "deprezinha-do-dia-dos-namorados-sozinha-em-casa-naquele-frio", vocês sabem, muito pouco pode ser feito, resta apenas esperar e esperar para que o dia acabe, e nesse caso desejar que a segunda-feira chegue logo porque certamente todos iram fazer um “feriadão” em nome do amor, já imaginou ter que conviver com isso quinta (muitos vão comemorar com antecipação), sexta (o pior dia, sábado e por fim o domingo)...
2. procurar pretendente as presas.
E essa e para as desesperas de plantão, em nome de tudo que e mais sagrada, em nome da sua integridade nunca, jamais, nem ouse pensar em encontrar ex-casinho; ex-namorado; amiga-chata-que-só-chora; ir (sem querer...) pra restaurante romântico que entrega rosa na entrada e serve comida em mesa com velas, isso definitivamente ira te matar, ou e bem capaz que você surte em publico, tendo aquelas crises existenciais de ninguém me ama, ninguém me quer, o que eu fiz de errado, porque ele preferiu ela e coisa e tal, a vida as vezes tende a ser muito cruel, então levante a cabeça quem sabe o ano que vem essa data seja excluída do calendário, já pensou que maravilha...
3. Ir ao shopping, cinema, parque a fins.
Essa definitivamente e a pior opção, sair de casa nesses dias e cometer suicídio, parece que abriram as portas do inferno (para as(os) solteiros(as)/encalhados(as) e quase isso), e casal aqui, casal ali, e casal pra todo lado, declarações de amor, casais brigando e depois se reconciliando.
Esqueça, fique em casa mesmo e mais seguro.
Mais agora vamos falar serio, comemorar e sempre bom, quem não gosta de ganhar presente, ser mimada, ser amada e ser a única importante nem que seja por um único dia, todo mundo gosta disso até as mal amadas (que só são mal amadas porque ninguém ainda enxergou a verdadeira beleza delas). Enfim, quero que vocês entendam uma coisa antes e acima de tudo, não se deixem contaminar pela falsa importância que essas datas tendem a nos levar, uma relação não consiste apenas de dias floridos e muitos casais às vezes nem fazem nada nesse dia, apenas ficam juntos, e isso posso garantir tem mais efeito do que qualquer presente do mundo.
Não importa o que façam ou deixem de fazer.
Sempre corremos o risco de errar e acertar, esse e o jogo da vida, o mais importante é REALMENTE não dar bola pro dia. É isso que faz toda a diferença. Todo o resto é pequeno, é bobagem, é ridículo.

E viva os corações apaixonados...
E as encalhadas... Ahhh... Deixa eu ver... Deixa pra lá vai... rsrs


“Quem inventou o amor, me explica, por favor...”.
Aline Lopes

9 de jun de 2009

Das vantagens de ser Bobo

Quem nunca ouviu aquela famosa frase que diz “Que de bobo e louco todo mundo tem um pouco”, já falaram que sou louca e às vezes muito boba, mas pra mim ta tudo bem sou melhor que muita gente que não se importa com ninguém, na verdade na maioria das vezes me importo mais com os outros do que comigo mesma, isso sim e sinônimo de loucura.
É pode até ser que eu seja boba, por acreditar que as pessoas podem melhor e um dia serão pessoas melhores, mais que liga, não podemos mudar quem somos não podemos alterar nossos genes, temos apenas que aprender a conviver com isso da melhor forma possível. Mais o que importa, não é mesmo?
Quem foi que escreveu que deveria ser assim?
A história passa e eu só esperando pelo fim, um final feliz ou não, mais sei que será um final merecedor, mais não necessariamente de gloria, apenas um final...


Das Vantagens de ser Bobo.

“O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo”. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: “Estou fazendo, estou pensando.”.
Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia. O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas.
O bobo ganha liberdade e sabedoria para viver. O bobo parece nunca ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoiévski. Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era que o aparelho estava tão estragado que o concerto seria caríssimo: mais vale comprar outro.
Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e, portanto estar tranquilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu. Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê.
César terminou dizendo a célebre frase: “Até tu, Brutus?” Bobo não reclama. Em compensação, como exclama! Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.
O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação, os bobos ganham à vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás, não se importam que saibam que eles sabem. Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil).
Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!
Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas.
É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca.
É que só o bobo é capaz de excesso de amor.
E só o amor faz o bobo.“

Clarice Lispector

Mais se não posso mudar e nem escolher se quero ou não ser bobo só me resta acostumar...
Ser bobo é pra poucos. Ahhh, como me encantam… Clarice, Clarice.


Aline Lopes


1 de jun de 2009

Coração Reciclável

Até que ponto a minha presença fará diferença, até que ponto poderei me senti totalmente útil, até mesmo me sentir fazendo a diferença...
Sabe quando as verdades se tornam mentiras, e quando você já não e mais necessária, Assim como tudo na vida você também foi deixada em segundo planos...
Hoje me sinto assim, em segundo plano, como algo sem total importância, sem o meu lugar, sem saber onde nem por que, como algo reciclável.
Descartam-se amigos!
Descartam-se mães!
Descartam-se pais!
Descartam-se filhos!
Descartam-se bichinhos de estimação!
Descartam-se relações!
Descarta-se tudo que dá trabalho!
Descarta-se tudo que não vem pronto!
Descarta-se tudo que não é perfeito!
Descarta-se a si mesmo!
Descarta-se a vida!
Por que, a cada dia que passa, descartamos e nos tornamos cada vez mais descartáveis?
Por que é mais fácil desistir e procurar algo mais fácil em vez de lutar pelo que queremos, mesmo sem saber se iremos conseguir?
Por que trocar o velho pelo novo, o real pelo surreal, o eterno pelo fugaz?
Por que trocar em vez de cuidar?
Por que aceitar metade se podemos ter e ser inteiros?
Tentando ser diferentes, tentando sair da mesmice acabamos fugindo da realidade, querendo o impossível, colocando os sonhos onde não podemos alcançar nos tornando insatisfeitos, previsíveis, sem brilho, sem vida.
Parece que estamos sempre na contramão da vida.
Ser diferente é viver cada dia como se fosse o último, mas cuidando do que temos, aprendendo com o que vivemos crescendo com o que aprendemos.
Somos responsáveis pelo que cativamos e pelo que estragamos, também.
Viver é uma luta diária, é um querer diário! E vale a pena!
Nem tudo acontece como planejamos, mas é essa a graça da vida!
Não podemos e não devemos controlar tudo. Devemos estar dispostos para encarar o que virá. Porque sendo bom ou ruim, no final, sempre aprendemos mais uma coisinha. E é tão fácil! Basta estarmos de peito aberto para a vida e decidir se queremos ser descartáveis ou recicláveis no grande supermercado da vida.



"A vida é aquilo que acontece enquanto fazemos planos para o futuro".
John Lennon


• Copyright © 2009 – Todos os direitos reservados
Voandoateoseucoracao.blogspot.com
Aline Lopez